G1 – Perfil falso na Wikipedia é citado em decisão judicial e trabalho acadêmico – notícias em Política

por isto recomendo os livros como fonte mais acertada de referências!

Perfil falso na Wikipedia é citado em decisão judicial e trabalho acadêmicoCarlos Bandeirense é citado como jurista e amigo de Chico Buarque.Criado para pregar peça em estagiário, perfil de jurista se espalhou.

LEIA via G1 – Perfil falso na Wikipedia é citado em decisão judicial e trabalho acadêmico – notícias em Política.

Carnaval literário

Que sou leitor devorador não é mistério para as pessoas de meu círculo de convivência. Há tempos tenho lido obras que referenciam Lúcio Aneu SÊNECA.

download (2)

Daí eu adquirir algumas obras suas.

Hoje, abrindo mão das festividades da carne enchi o espírito com três pequenas obras de Sêneca. Pequenas na extensão, gigantes no conteúdo.

“A Brevidade da Vida”

A vida pode ser breve, mas o que a prolonga é a arte de seu uso.

Pequeno é o lapso da vida bem utilizado.

A vida é breve, longa é a arte.

Bastante longa é a vida e suficiente para levar a termo os maiores empreendimentos, desde que bem utilizada.

Como ousa alguém queixar-se da altivez de outrem, quando ele mesmo não dispõe de um instante livre para si mesmo.

… toleram que outros lhes invadam a vida e até são eles mesmos a introduzirem os futuros possessores dela. não se encontra ninguém que queira repartir seu dinheiro, mas a vida cada um a partilha com muitos.

Ninguém está tão vergonhosamente ocupado como eles. (referindo-se aos que se entregam a bebida)

O que menos faz o indivíduo atarefado é viver.

A arte do bem viver exige a vida inteira, sendo, talvez, mas surpreendente que a vida toda é um aprendizado do saber como morrer.

Não diga que fulano viveu muito porque tem cabelos brancos e rugas. Ele não viveu muito. Apenas durou bastante.

O sábio não vacila em caminhar para a morte com passo firme.

Tal indivíduo não desfruta de repouso. Merece outro título. é, sim, um enfermo. Diria mais. É um morto. (referindo-se aos que se entregam aos vícios)

Dentre todos os seres humanos os ociosos de verdade são os que se dedicam a filosofia. Esses são os únicos que vivem.

Eis a única maneira de dilatar nossa vida mortal, a saber, conecta-la com a imortalidade.

“A Constância do Sábio”

O sábio está seguro. Nem a injúria nem a contumélia conseguem atingi-lo.

Invulnerável não é o que não está no sujeito a ser alvejado e, sim, o que não pode ser lesado.

O que vem de baixo não atinge o sábio (…) mas a injúria não o alcana porque a distância é tão grande que não enseja força suficiente para atingi-lo.

O indivíduo que faz uso da maldade, da arrogância, e da soberba contra o sábio, não passa de um mero frustrado.

Mesmo após os ataques injuriosos asseguro que todo o me patrimônio espiritual permanece íntegro e incólume.

“As Troianas”; esta na primeira tradução efetuada para o português em edição bilíngue.

A mulher honesta

Esta passagem retirei das histórias do Decamerão de Boccaccio. Contou-se o seguinte:

Vários comerciantes reuniram-se a noite para prosear e contar seus negócios efetuados durante o dia. Tais encontros se davam numa taberna da Espanha. Era por volta do ano de 1.200. Ali se gabavam de seus grandes negócios e das conquistas sexuais que faziam com as mulheres da região. Um deles tomando a palavra disse que não se importava em ter uma “namoradinha” em cada cidade que negociava, já que sua esposa, morando na Grã-Bretanha também certamente recebia um ou outro homem na sua cama nupcial. Entre os comerciantes isto foi um consenso geral: todos traiam suas mulheres porque eles sabiam que eram traídos enquanto longe de casa. Nesta taberna tinha homens de toda a Europa e todos estando longe, muito longe de casa.

Contudo ali estava o Sr. Giancarlo, um italiano que discordou com a argumentação de seus colegas e disse que sua esposa jamais o trairia. Acrescentou que ficava fora de casa por meses e até anos a fio fazendo seus negócios e sempre que retornava era recebido amorosamente por sua fiel esposa. Sr. Giancarlo disse que se acaso morresse sua esposa se resguardaria para sempre e não teria outro homem. Por isto ele também não praticava as aventuras amorosas tal qual seus colegas comerciantes e mascates.

No local estava um jovem espanhol de bela aparência de nome Domingos que desafiou Giancarlo dizendo que a esposa daquele, sim! Ela o trairia! Que Domingos iria até a Itália e deitaria com a esposa de Giancarlo. Argumento que o fogo das mulheres deve ser sempre regado com carícias masculinas de jovens, e que a dita esposa não resistiria aos dotes do jovem espanhol.

Giancarlo ficou furioso e na defesa da moralidade da esposa desafiou Domingos à frente de todos com a seguinte proposta: que Domingos poderia ir à casa dele e tentar deitar com sua esposa que isto não aconteceria. Se acaso a esposa não se deitasse o jovem Domingos perderia para ele apenas 1000 francos. Mas acaso a esposa cedesse aos seus galanteios, Giancarlo se mataria em praça pública. Os demais ouvintes da taberna ficaram apavorados com a resolução de Giancarlo e propuseram-lhe poupar a vida, mas que a aposta fosse os 1000 francos para a derrota de Domingos e 10.000 francos para a derrota de Giancarlo.

E assim ficou tratado entre os dois comerciantes. Ficou acertado que Domingos teria três meses para ir a Itália e retornar; neste período Giancarlo não daria notícias de nada a sua esposa, nem ao menos lhe enviando uma carta. Nesta época, ano de 1.200 estas promessas eram severas!

No outro dia Domingos partiu para Itália. Chegando à casa da mulher passou a lhe fazer todo o tipo de investida até que ela empunhando uma faca expulsou o jovem da casa mantendo-se fiel ao seu esposo que viajara.

Domingos ficou apavorado com a hipótese de perder a aposta para Giancarlo e arrumou logo um ardil para sair vencedor: procurou uma das empregadas da casa e a corrompeu com alguns trocados. Tramou o seguinte com a empregada: ela o colocaria dentro de um baú situado no quarto da mulher durante três noites seguidas.

E assim foi feito. Na primeira noite Domingos investigou o quarto e descobriu a localização de todos os móveis e detalhes para depois narrar em Espanha. Na segunda noite verificou a mulher dormindo seminua e descobriu que debaixo de seu seio direito havia uma pinta de nascença com alguns pelinhos loiros. Na terceira noite furtou um pente, um espelho e um cinto talhados com o nome da mulher.

Partindo para Espanha convocou todas as testemunhas da aposta e o Sr. Giancarlo para narrar sua façanha.

Domingos subindo na mesa da taberna disse em detalhes como era o quarto de Giancarlo e sua esposa! Mas alguns disseram que ele poderia saber disto por informações tomadas junto aos empregados e não provava que a mulher cedera a seus encantos. Então Domingos mostrou o pente, o espelho e o cinto. Giancarlo objetou dizendo que poderiam ser furtados. Foi quando Domingos revelou a pinta de nascença localizada abaixo do seio direito da mulher de Giancarlo. Urras de vitória saíram de todos os lados da taberna! Estava provado que Domingos dormira e mantivera relações sexuais com a esposa de Giancarlo.

Giancarlo choroso entregou sua fortuna a Domingos e partiu traído para Itália. Antes, porém, de chegar à aldeia, determinou a seu melhor e mais fiel empregado que levasse sua esposa a um bosque infestado de lobos selvagens e ali a matasse. Explicou o ocorrido e assim partiu o algoz da mulher traidora.

Chegando ao bosque, o capataz anunciou que a mataria. Ela rogando piedade pediu que não procedesse desta forma. O capataz compadecido ainda tentou matá-la, mas ela esquivando disse ao senhor para que ele a entregasse suas roupas e que a partir daquele dia ela estaria morta como mulher e assumiria a figura masculina e jamais retornaria aquela região. Ela disse que partiria para terras árabes. Compassivo o capataz entregou-lhe uma calça, camisa e chapéu seus, e a mulher desfazendo-se de suas roupas, partiu para nunca mais voltar.

O capataz entregou as roupas da mulher a Giancarlo e informou que a havia matado e que os lobos deram fim a seu cadáver. Giancarlo, pobre, partiu pelo mundo sem um vintém, perdendo-se todas as forças para comercializar e entregando-se a bebedeira e sentindo que a morte lhe cercava.

Doravante a mulher passou a se chamar de Camarillo. Tomou vida nômade e um dia viu-se servo de um grande Sultão na Arábia Saudita. Era seu fiel servidor e detinha grande confiança do sultão. Por seis anos ficou naquela localidade.

Era costume do rei árabe a cada 10 anos fazer uma grande festa aos comerciantes de Europa para incrementar o comércio no seu reino. Assim sendo a cidade ficou apinhada de comerciantes. Caramillo andando entre eles deparou-se com um belo senhor que portava entre seus apetrechos um pente, um cinto e um espelho talhados com o nome que lhe era conhecido! Então Caramillo quis comprar aqueles três pertences do comerciante. O comerciante de imediato caiu na gargalhada. Caramillo, vendo-se constrangido argumentou que um “homem” como ele apenas queria adquirir aquelas singelas peças para dar de presente a uma mulher. Mas Domingos, rindo disse que nem as venderia, mas que as daria ao homem de confiança do Sultão de bom grado, e que as risadas era pelo fato de ter uma grande história por detrás daquelas três peças.

Caramillo, curioso quis saber da origem das peças. Foi então que Domingos contou sua trapaça para ganhar a aposta do arruinado Giancarlo. Caramillo, contendo-se diante da revelação, exaltou a história e disse que o Sultão adoraria ouvi-a diante de seus servos em festa.

Foi preparado um grande jantar e todos se reuniram diante do Sultão e de Domingos que contou com esmerados detalhes a troça que passara em Giancarlo. Todos riram e acharam muito engraçado; e o Sultão gostou muito da história.

Como caramillo era muito prestigiado pelo Sultão e detinha a confiança de todos na região, mandou soldados e investigadores procurarem por Giancarlo. Em pouco tempo retornaram com o esposo traído e moribundo.

Noutra festança onde Domingos contava outras aventuras, Caramillo tomou a palavra e disse que ele repetisse a história na frente de Giancarlo que se encontrava no local. O Sultão não aprovou a humilhação de o falastrão Domingos repetir mais uma vez publicamente e agora na presença de Giancarlo aquela peripécia e repreendeu Caramillo. Mas Caramillo disse que ao final da repetida história faria entrar no ambiente a mulher honesta!

Oh! E outras exclamações partiram de todos os lados e o sultão determinou que assim se procedesse. Domingos, vergonhoso e com as espadas dos soldados do Sultão já em seu pescoço, e olhando para Giancarlo, contou a história.

A final, Caramilo arranca suas vestes e se revela como a mulher honesta que de fato nunca foi traidora, e agora confirmada por Domingos!

O Sultão, homem extremamente honesto e justo, que segundo a lenda era descendente do próprio Salomão, mandou que Domingos fosse amarrado a um poste no meio do deserto e, besuntado em mel, os insetos o devorassem vivo.

Depois de retirar toda fortuna de Domingos e entregá-la a Giancarlo e a esposa, o Sultão ainda os cobriu de muitos presentes. Giancarlo foi perdoado por tentar matar a esposa e retornou a Itália, novamente rico e próspero.

A crise da Grécia e seus reflexos em Pará de Minas

Recomendo selecionar o nome dos deuses e mitos, clicar com o botão direito do mouse e selecionar “pesquisar no google”.

Segundo informações que tive diretamente de Atenas, a coisa pelos lados da Grécia estão feias mesmo! Mas sabendo que Pará de Minas é a cidade mais hospitaleira do Brasil, e o Olimpo perdeu seu status, ele será transferido para a Serra do Cristo aqui em terras patafufas. Zeus vai morar na Serra da Torre e se tornar hippie. Só mesmo Érebo vai ficar na Grécia.

Já que a Acrópole foi vendida e inaugurada uma Igreja Universal no local, os deuses, semi-deuses, deidades, titãs, filósofos e tudo mais, vão migrar para Pará de Minas.

Mas algumas coisas não começaram bem: Aquiles machucou o calcanhar na viajem e foi tratar-se no Pronto Atendimento, mas Esculápio disse que ele tem de ir ao Hospital Nossa Senhora da Conceição. Chegando lá uma das Górgonas, Esteno, o mandou de volta para o Pronto Atendimento. Aquiles já pensa em chamar o corpo de bombeiros para ajudar e o comandante falou que vai com o batalhão todo a cavalo prestar o socorro. A outra Górgona, Euríale, vai morar na Praça do Santuário de Nossa Senhora da Piedade. Medusa (a terceira Gordona) deixou os vereadores petrificados com suas opiniões sobre como decorar com estátuas as nossas praças públicas.

Tânato está desolado: chegando na cidade, uma velhinha lhe perguntou as horas, ele respondeu: “A sua!”. A velha caiu dura e fria! Parece que ele vai se hospedar fora da cidade.

Prometeu chegou sozinho, e jura que não deixará pegar fogo nas serras da cidade, mas não quer morar em montanha alguma. Disse que tem trauma de serras com pássaros!

Pandora casada com Epimeteu (irmão de Prometeu) está vindo com a ajuda de Atlas que carrega suas caixas. Estou com muita expectativa para ver o que ela traz na bagagem!

Eros e Pan inauguraram prostíbulo perto de um dos postos de combustível da BR 262. Dizem que algumas Ninfas vão trabalhar lá. Imagino que os Sátiros vão abarrotar o lugar! A gerência do espaço será de Afrodite.

Hércules suspendeu os trabalhos por falta de pagamento, e faz pequenos bicos para donas de casa ricas e famosas da cidade, como “marido de aluguel”.

Narciso vende espelhos, numa lojinha ao lado do Tião Mourão em clara concorrência, que já estava acirrada com a venda de lamparinas de Diógenes e os ventiladores de Zéfiro.

Sócrates inaugurou o Cicuta’s Bar ao lado da Girus. Dizem que os preços das suas bebidas estão pela hora da morte. Mas Dionísio vende vinhos e ajuda a manter a renda.

Hermes entregou currículo no Jornal Diário e na Espacial FM para trabalhar na coleta de notícias rápidas e urgentes.

Sem dinheiro para pagar os salários, Zeus liberou algumas ninfas para trabalharem no faixa azul quando ele for liberado.

Ilha de Lesbos também perdeu seu status na Grécia e é transferida para a “Ilha dos Patos” da lagoa do Bariri. Assim como a Caverna de Platão que vai ser inaugurada na base da Serra do Cristo Redentor e abrigará alguns destes novos visitantes a baixo custo a diária.

Oráculo de Delfos vai ler as mãos dos aposentados na Praça Torquato de Almeida.

Apolo e Adônis abriram uma academia e Jacinto será o personal trainner.

O Minotauro vai prestar assessoria no Sindicato Rural e promete acabar com a febre aftosa na região.

Já os alguns Centarus vão administrar o Parque de Exposições e cuidar das festas, mas prometem acabar com a festa do peão e incrementar a mostra de bovinos! Isto está parecendo cooperativismo!

Aristóteles, Sócrates e Epicuro aceitam ENEM, Sisu e Pronatec para entrar no Liceu, e abrem juntos, mais uma faculdade em Pará de Minas. A assessoria de imprensa da FAPAM informa que não perderá alunos para o curso dos pensadores.

Antônio Júlio (Prefeito) não aceitou a assessoria de Sísifo na prefeitura! Motivo: não entende nada que ele diz! Mas contratou Cronos para fazer a manutenção dos semáforos da cidade. Já é boa coisa! Contratou também Morfeu, mas no setor dele ninguém trabalha; todos dormem o dia todo! Quando colocou Hades para trabalhar no Velório Municipal, proibiu que ele se encontrasse com Cronos ou Caronte.

Acho que a melhor de Antônio Júlio é a contratação de Áries, que promete colocar a Guarda Municipal para funcionar em breve!

Caronte quer fazer o Ribeirão Paciência navegável! A empresa Águas do Pará (antiga COPASA) ficou tão feliz que libera a navegação de Caronte, gratuitamente até o Paraopeba e trocará seu nome para Agueronte. Parece que existe uma parceria muito boa entre a Águas do Pará com Poseidom, para aceitar esta proposta.

Têmis e Atená passaram no concurso da magistratura e virão para o Fórum Pedro Nestor que não mais terá este nome, doravante vai se chamar Ágora (tem acento agudo no “á”).

Hefesto e os Cíclopes foram procurar trabalho na construção civil, mas já temem pela perda do emprego. Dizem que ele vai para a Secretaria de Obras da Prefeitura.

Até que esta migração para nossa cidade pode ser interessante, já estão pensando em fazer um zoológico na cidade onde poderemos ver as Hápias, Sereias, Nereidas, o Touro de Creta, o Leão de Neméia, Manticora, Pegasus, a Hidra de Lerna, a Corsa Sirinita e o Javali de Erimanto. A visita à Esfinge exigirá que os ouvidos estejam protegidos: pode ser perigoso ouvi-la. O Comandante da Polícia Militar quer tirar o Cérbero do zoológico e colocar ele nas patrulhas de rua, mas não sei se vai dar certo!

Bom, agora vou largar o latim de lado e procurar um curso de Grego!

Bom dia a todos! Καλημέρα σε όλους!

Infodireito: 10 crônicas de Eduardo Galeano para sacudir o que você pensa sobre o Direito

Acima, no alto do estrado, envergando sua toga negra, o presidente do tribunal.

À direita, o advogado.

À esquerda, o promotor.

Degraus abaixo, o banco dos réus, ainda vazio,

Um novo julgamento vai começar.

Dirigindo-se ao meirinho, o juiz, Algonso Hernández Pardo, ordena:

– Faça o condenado entrar.

Leia esta e outras via Infodireito: 10 crônicas de Eduardo Galeano para sacudir o que você pensa sobre o Direito.

Senhora de 97 anos realiza sonho e advoga pela primeira vez | JORNAL O TEMPO

Exemplo de aluna que deve servir de inspiração para todos que acreditam que a idade não é obstáculo para nada!

Senhora de 97 anos realiza sonho e advoga pela primeira vez Chames Salles Rolim pode ser a pessoa mais idosa a participar de uma sessão do júri no mundo

Exemplo a ser seguido

Continue lendo via Senhora de 97 anos realiza sonho e advoga pela primeira vez | JORNAL O TEMPO.

Do Leitor: 3 Gambiarras para quem vai morar sozinho pela primeira vez | SOS Solteiros

“Viver sozinho é dureza! Tem de se arrumar com o que tem em mãos e fazer a criatividade aparecer!”

 

 

Imagina que você acabou de sair da casa dos pais, e só se ligou que não tem nem armário, estante, muito menos decoração, ao chegar na casa nova – sim, muita gente passar por essa situação.Eis que o leitor, Ronaldo Galvão, nos mandou três ideias bacanudas que podem ajudar quem não tem grana, mas não tá afim de viver assim:

Continue lendo via Do Leitor: 3 Gambiarras para quem vai morar sozinho pela primeira vez | SOS Solteiros.