Clique Ciência: como funciona a cola que prega a pele e fecha cortes? – Notícias – Ciência

Muito interessante esta evolução. Renderá bons comentários nas aulas de medicina legal !

Ela é bem simples de ser usada. Basta unir os dois lados da pele que foram separados no corte, passar a cola por cima com uma espécie de pincelzinho que vem acoplado na embalagem e esperar alguns minutos para ela secar completamente.

Fonte: Clique Ciência: como funciona a cola que prega a pele e fecha cortes? – Notícias – Ciência

Asfixia – matéria jornalística comentada

Prezados alunos,

Leiam a seguinte matéria do portal G1 e vejam os comentários abaixo.

MATÉRIA: clique aqui

Comentários do professor:

O exame do Instituto Médico Legal (IML) mostra que o homem de 49 anos teve um trauma na coluna que tirou sua vida. O documento ainda informa que não foi encontrada água nos pulmões de Sidnei.

Notem que a inexistência de águas nos pulmões foi DETERMINANTE para a EXCLUSÃO do sinistro de AFOGAMENTO.

Mesmo imerso em água, o pulmão ainda retém muito oxigênio e monóxido de carbono. Assim sendo mesmo, sob pressão da água estes gazes (naturais do organismo) impedem que o pulmão se “contamine” com a água do ambiente

“Morte violenta pode ser homicídio, suicídio ou acidente”, disse o delegado Pascoal Ditura, nesta quinta-feira (24) ao G1.

Vejam que o Delegado NÃO afirma nada! Apenas define “morte violenta” de forma generalizada. Assim deve agir um bom profissional já que as possibilidades são muitas.

“A avaliação interna não apresenta sinais necroscópicos compatíveis com morte por afogamento”, escreveu a médica legista na última quinta-feira (17).

Os sinais internos a que se refere a médica legista são a “tríade da asfixia” que solicitei ao senhores para DECORAREM ou até mesmo TATUAREM em seus corpos (de forma jocosa) dada a importância destes elementos:

São eles

  1. Sangue fluído claro (para o afogamento!! nos demais casos é escuro),
  2. Petéquias de Tardieu, e
  3. congestão visceral.

No informe seguinte do laudo, podemos fazer uso dos conhecimentos adquiridos na etapa passada de nossos estudos:

Um agente “contundente” foi usado como instrumento para fraturar a coluna de Sidnei, de acordo com o exame. “Observou-discreto sangramento em canal medular cervical e fratura, luxação das vértebras C1-C2”.

Ou seja, o cidadão levou uma pancada na nuca e ocorreu uma separação – com rompimento dos ligamentos – em sua coluna, com um “discreto” sangramento.

Vejam as imagens: (estas imagens não são exatamente do caso acima, mas retratam bem a situação ocorrida)

Clique para ampliar.

Clique na imagem para ampliar.

 

Note o deslocamento de C6 e C5

Note o deslocamento de C6 e C5 – clique na imagem para ampliar.

 

Levem outras ponderações sobre este caso para a sala de aula!

Solicito aos alunos que para ficarem “nas graças do professor” levem outras matérias como esta em sala de aula.

GRATO A TODOS!!!

 

 

G1 – Corpo mumificado de aventureiro alemão é encontrado sentado em iate – notícias em Mundo

Para as futuras aulas de medicina legal…

Corpo mumificado de aventureiro alemão é encontrado sentado em iate

Pescadores acharam corpo sentado em mesa na sala de rádio do barco.

Documentos são de Manfred Bajorat, de 59 anos.

leia a matéria toda – COM FOTOS – via G1 – Corpo mumificado de aventureiro alemão é encontrado sentado em iate – notícias em Mundo.

G1 – Secretaria nega agressão a presos em CDP da Zona Leste de São Paulo – notícias em São Paulo

Alunos de medicina legal!!! Leiam a matéria com os olhares críticos que nossa disciplina oferece!

A Secretaria de Administração Penitenciária negou, por meio de nota, nesta segunda-feira (29), qualquer agressão a presos no Centro de Detenção Provisória (CDP) Vila Independência, na Zona Leste de São Paulo. O G1 publicou, no sábado (27), que a Justiça de São Paulo, o Ministério Público (MP) e a Defensoria Pública estão apurando se agentes penitenciários do Grupo de Intervenção Rápida (GIR) atiraram balas de borracha, bombas de gás, usaram spray de pimenta, cães, agrediram com cassetetes e torturaram mais de 30 presos nos dias 15 e 17 de fevereiro.

Matéria completa em: G1 – Secretaria nega agressão a presos em CDP da Zona Leste de São Paulo – notícias em São Paulo.

Como é que os exames médicos podem ajudar no caso das meninas de Caxias?

Oportunidade para os alunos levarem o debate para sala de aula!

Mãe, que está presa preventivamente por indícios do duplo homicídio das crianças, tinha acusado em novembro o ex-companheiro de abusar sexualmente das filhas. Esta semana, depois da tragédia, o pai negou todas as acusações, que classificou de “barbaridades”. Agora que as meninas morreram, alguma vez se conseguirá saber a verdade? Os exames médicos que foram feitos às menores há três meses poderão conter a resposta? Especialistas em medicina legal e psicologia forense analisam o caso.

CONTINUE LENDO via Expresso | Como é que os exames médicos podem ajudar no caso das meninas de Caxias?.

ConJur – Engane-me se puder: a linguagem corporal entra no jogo processual?

Para utilização nas aulas de prática cível e medicina legal

Você já passou por isso: quando um agente processual faz um “bico” com os lábios, sabemos intuitivamente que está examinando o assunto antes de deliberar, assim como lamber os lábios e passar a língua sobre o lábio inferior. Verdade? Tente fazer o descrito acima. Pois bem, a linguagem corporal acontece no processo penal. Tudo bem que não podemos levar ao limite as táticas da série de televisão Lie to Me (Samuel Baum, Fox) nem considerar que o fato de a testemunha estar lacônica signifique, prima facie, indicativo de mentira, embora possamos dizer algo “levando tudo em conta”[1]. Nem por isso, porém, podemos desprezar o fator da linguagem corporal, já que apenas 7% da nossa comunicação se dão pela fala[2], todo o resto é linguagem corporal e o modo como se diz. Desde as abordagens policiais até no ambiente de interação da audiência de instrução e julgamento, boa parte da comunicação não verbal opera nos sentidos atribuídos nos contextos, muitas vezes sem que percebamos[3] [4]. Aliás, a ConJur publicou recentemente decisão de juiz do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS) que desqualificou o depoimento devido à linguagem corporal. Não irei falar da decisão porque não sei da testemunha. No entanto, se for ter uma audiência, semana próxima, com esse mesmo juiz, não deveria me preparar para o jogo processual com ele? Tenho defendido a leitura do processo a partir da Teoria dos Jogos, como em breve deverá estar disponível a terceira edição do Guia Compacto do Processo Penal Conforme a Teoria dos Jogos.

Leia a íntegra do texto via ConJur – Engane-me se puder: a linguagem corporal entra no jogo processual?.