Efemérides

A solidão

Certa feita um amigo perguntou-me o que era “efemérides”. Respondi-lhe com um sorriso: Efemérides é algo que não chega a ser lana caprina, mas não relevante o suficiente para receber lugar nas calendas.

Perplexo, ele disse que ainda não sabia o significado, já que expressei-me com palavras também desconhecidas.

Retoquei minha resposta: efemérides é a palavra latina que dá origem a palavra portuguesa efêmero. Ou seja, algo passageiro, que não dura mais que um dia. Efêmero, assim como efemérides é algo insignificante, mas ainda assim possui uma nota. Efêmero é um acontecimento do qual não se espera que novamente ocorra, ou, se ocorrer, o será em data não certa, podendo assim ser relegado ao esquecimento.

Lana caprina, palavra que também utilizei na definição é o desprezível, aquilo que se joga fora. A origem da expressão Lana caprina está na lã dos caprinos (ovelhas) que, situando na barriga se arrasta pelo chão e é descartado, assim como os pelos que rodeiam o ânus destes animais; pelos estes que sempre defecados, também são jogados fora.

calendas dá origem a palavra calendário, aquilo que é importante a tal ponto que se dedica especialmente uma data para se comemorar. O acontecimento que vai para o calendário é aquele que ansiosamente esperamos, temos gosto de lembrar! Comemoramos fazendo votos que se repita sempre.

Assim sendo as três palavras possuem significado temporal muito importante:

Lana caprina: pode nem ser um acontecimento! É algo digno de ser jogado fora.

Efemérides: o insignificante; passageiro; talvez nem venha mais a ser lembrado.

Calendas: acontecimento importante; digno de nota; que queremos sempre lembrar.

Assim são, também as relações com as pessoas: umas que nem sequer vemos, são jogadas fora e desprezadas; outras, conhecemos, mas não passa de um mero ver e nunca mais reencontrar. Já aquelas que vão ser escritas na pedra das calendas, ou seja, marcam, ficam para sempre na memória.

Sinto-me triste em encontrar muitas pessoas como efemérides: aquelas que encontrei uma vez e depois nunca mais as vi, ou nem sequer quiseram me ver novamente. De algumas até me esqueço. Pior, outras que são Lana caprina, que nem se quer vendo  já são descartáveis (ou me descartam) como são lançados (ou me lançam) ao lixo tal qual os pelos anais das ovelhas.

Pessoas dignas do registro nas calendas!!! Oh! Destas sinto falta! Que pena hoje a escolha das pessoas seja apenas o efêmero.

 

 

Ainda sobre eleições municipais

Ainda sobre eleições em Pará de Minas

Semana passada publiquei aqui minhas impressões sobre cada um dos candidatos eleitos. Recebi elogios e críticas. Fico grato pela atenção dos leitores aos meus escritos. É apenas minha contribuição cidadã para o debate político na cidade.

Hoje refleti a partir de entrevistas que vi na nossa imprensa local com alguns dos eleitos e reeleitos. Foi unanimidade o reconhecimento que a “mudança” é a palavra chave. O eleitor que ver alterações – para melhor – no exercício da política. Penso que se acaso fosse uma eleição para presidente e governadores junto de deputados teríamos um panorama muito semelhante de reformas e demonstração de revolta com a atual situação política. Se acaso em 2018 estiver “esfriado” as ações da Operação Lava Jato, pode ser que o  eleitor esqueça (somos de memória fraca) e daremos continuidade a vários indesejáveis nomes da política nacional. Mas o vereador eleito agora deverá estar trabalhando duro por Pará de Minas para que não sofram os sustos que tiveram nesta gestão reformada.

Para que não digam que não sou apenas um crítico, mas quero contribuir com a política, sugiro alguns temas de trabalho para nossos vereadores. São temas que entendo necessários serem estudados para uma melhor Pará de Minas:

Criação de barragens de contenção de águas visando abastecimento na cidade quando em épocas de seca;

Regulamentação de plano diretor da cidade;

Alteração de vias residenciais para comerciais e/ou mistas (residencial e comercial);

Entrega de praças públicas aos cuidados da iniciativa privada (pessoas físicas ou jurídicas);

Desoneração / desburocratização para utilização de espaços públicos por particulares;

Determinar que os proprietários de imóveis promovam, por sua conta, as medidas necessárias em suas calçadas para facilitar a acessibilidade das pessoas deficientes e idosos sob pena de altas multas;

Legislar impiedosamente contra as pessoas que não possuem coletores de lixo (coletivo ou individual) para evitar a sujeira nas ruas;

Recolher moribundos em casas de abrigo e providenciar seu remanejamento às cidades de origem;

Instalar definitivamente o estacionamento rotativo na região central da cidade;

Punir a pesadas multas os proprietários de imóveis que deixem seus lotes sujos, com mato, ou abertos (sem muros);

Somente autorizar o poder público contratar com instituições bancárias (pagamento de funcionários, por exemplo) que possuam agências nos centros comerciais dos bairros e nos distritos;

Determinar a pavimentação por paralelepípedos das ruas com mais de 3 (três) e menos de 10 (dez) casas, com pavimentação asfáltica as ruas com mais de 10 casas habitadas. Todas as ruas com comércio regularizado junto ao município deverão ter pavimentação asfáltica;

Contratar com a Ordem dos Advogados do Brasil local a realização de palestras (uma a cada mês) nos bairros da cidade promovendo a cidadania e divulgação de direitos dos cidadãos;

A exemplo da sugestão acima contratar com outras entidades tais como Conselhos Regionais de Medicina, Odontologia, Engenharia, Contabilidade e outros para difundir gratuitamente o conhecimento entre os cidadãos;

Parcerias público privadas para conservação de fachadas de prédios públicos históricos.

Estas são apenas uma das poucas atitudes que podem, e devem, ser concretizadas em Pará de Minas. Para tais implementações (e outras que o leitor poderá sugerir) o vereador deverá ter algumas qualidades: a) visão de futuro para a cidade de Pará de Minas; b) capacidade intelectual para redigir e sustentar cada um destes projetos de lei; c) independência moral e política para apresentar os projetos; d) pensamento global não somente vinculado a uma base que o elegeu; e acima de tudo, d) desprender-se da atitude de que “eleito não se faz mais nada” e TRABALHAR eficazmente pela cidade.

Estas sugestões acima são apenas um pontapé inicial para várias outras que podem ser concretizadas por VERDADEIROS VEREADORES, que querem o melhor para a nossa cidade.

Senhores eleitos e reeleitos: MÃOS À OBRA!

 

“O POVO NÃO VOTA NA GRATIDÃO, O POVO VOTA NA ESPERANÇA”

“O POVO NÃO VOTA NA GRATIDÃO, O POVO VOTA NA ESPERANÇA”

Antônio Júlio de Faria

Quatro anos passados eu escrevi uma coluna analisando os eleitos vereadores e prefeito naquelas eleições. Retorno com minhas impressões titulando esta coluna com a frase do candidato derrotado, eis que entendo ser a real expressão e resumo do fenômeno ocorrido aqui em Pará de Minas. A ESPERANÇA é a vencedora nas eleições de Pará de Minas. Ao lado da Esperança, a REVOLTA caminhou, basta ver os votos brancos e nulos.

Mas não se diga que houve REFORMA na cadeira executiva, já que apenas trocamos o grupo político de Antônio Júlio pelo de Inácio Franco. Reforma não houve. A esperança é depositada em mãos que podem confiar e das quais já conhecemos de outras administrações. A esperança foi aliada a SEGURANÇA, os demais candidatos ainda não se mostraram capazes da revolução necessária.

Vamos aos nomes:

ELIAS DINIZ: Novato?! Não. Tem a seu lado grandes nomes da velha guarda política de Pará de Minas e vai conseguir trilhar um caminho sem muitos tropeços. Primeiro desafio é a transição, depois focar nas promessas de campanha. Temos uma tradição de reeleger prefeitos que foi alterada agora. Desejo a Elias uma excelente administração para eventual reeleição. Elias é ambicioso e isto é excelente qualidade.

Na Câmara a reforma foi significativa. Os velhos caciques poderão dominar os novos nomes e carregá-los no cabresto. Os que se revoltarem podem ser apagados sem apoio da velha guarda política. Para sobreviver os novatos terão de bailar entre ouvir os velhos e agir de forma independente. Ousei atribuir três critérios para avaliação dos eleitos. Expectativa que deposito em cada um deles; potencial intelectivo para fazer bons projetos e saber lidar com situações que exigem saber acadêmico; independência relativamente às más influências e capacidade de realizar o mandato de forma autônoma ouvindo quem deve ser ouvido, ou seja, o povo.

MARCÍLIO: na oposição terá trabalho para manter-se em evidência. Excelente oportunidade para pensar em abrir a sua caminhada para candidatar-se a prefeito no futuro. NOTAS: Expectativa: 8 / Potencial intelectivo: 9 / Independência: 10

DANIEL MELO: o assustado! Todos que se candidatam pensam que vão ter milhares de votos. Mas ele ainda deve estar recontando votos. Assume uma responsabilidade que penso terá dificuldades em cumprir. De plataforma única como defensor dos animais, é bom que pense em outras coisas úteis para apresentar e realizar senão será seu primeiro e último mandato. NOTAS: Expectativa: 2 / Potencial intelectivo: 1 / Independência: 2

RODRIGO VARELA: só quem trabalha certo e com afinco é reeleito. Será uma das poucas ‘cabeças pensantes’ da câmara. Varela é daqueles nomes que vão ficar marcados na cidade. Um dos poucos com ensino superior na câmara e estou sabendo que cursará Direito na FAPAM investindo na intelectualidade que falta na Câmara. NOTAS: Expectativa: 10 / Potencial intelectivo: 10 / Independência: 10

NILTINHO DO SÃO CRISTÓVÃO: tomara que não fique somente nas moções de aplausos e nomes de logradouros públicos. Fez uma campanha de plataforma básica, veremos se fará algo de útil. NOTAS: Expectativa: 6 / Potencial intelectivo: 6 / Independência: 4

LEANDRO ALVES: continuará seguindo as orientações do sangue paterno. DNA bom ele tem. NOTAS: Expectativa: 9 / Potencial intelectivo: 9 / Independência: 9

DILÉ DA MULTI SOM: um ar de esperança. O empresário poderá ser uma boa proposta na câmara para legislar algo de bom para o comércio de Pará de Minas. Tomara que faça boas alianças com a Associação Comercial. NOTAS: Expectativa: 9 / Potencial intelectivo: 7 / Independência: 7

MARCOS AURÉLIO: cacique. O decano da casa vai se sentir um professor para os novatos. Vai arrebanhar muitos novatos para seu lado. NOTAS: Expectativa: 10 / Potencial intelectivo: 10 / Independência: 10

  1. ÊNIO: o “Senhor dos Anéis”: médico (anel verde) e bacharel em Direito (anel vermelho), retorna a câmara. Trabalhador e polêmico. De formação acadêmica louvável, dos novatos, o único que leva uma experiência de vida para a câmara. NOTAS: Expectativa: 10 / Potencial intelectivo: 10 / Independência: 9

RODRIGO: incógnita. Confesso nem imaginar o que poderá este vereador realizar. Mas pode ser uma surpresa boa. NOTAS: Expectativa: 7 / Potencial intelectivo: 7  Independência: 5

CARLINHOS DA TELEFÔNICA: mais um cacique para competir com Marcos Aurélio as rédeas para colocar nos novatinhos que chegaram. NOTAS: Expectativa: 9 / Potencial intelectivo: 8 / Independência: 9

MÁRCIO LARA: polêmico e guerreador. Combativo em suas convicções é um destemido. Vamos ver até onde suas garras afiadas na vida social terão coragem de cortar na condição de político. Que este leão não se torne gatinho na Câmara. Este vai dar o que falar. NOTAS: Expectativa: 8 / Potencial intelectivo: 8 / Independência: 8

MARCÃO: levou susto: quase não foi reeleito. Deve sacudir muito para manter-se. É hora de reavaliar o que tem feito e fazer melhor como político. Está ofuscado e deverá trabalhar muito para voltar a ter algum brilho. NOTAS: Expectativa: 7 / Potencial intelectivo: 8 / Independência: 8

TONINHO GLADSTONE: da ala intelectualizada. Tem histórico de vida louvável. Uma excelente aposta em trabalhos sérios. Espero que abandone questões partidárias e se filie aos poucos cérebros de seu nível que estão na Câmara. NOTAS: Expectativa: 9 / Potencial intelectivo: 10 / Independência: 9

CARLINHOS DO QUEIJO: melhor trocar este apelido. É bom que tenha um mentor por traz para que faça algo que preste na câmara. Entra apagado e tomara que não desapareça como aqueles a quem sucedeu. NOTAS: Expectativa: 2 / Potencial intelectivo: 4 / Independência: 2

MÁRIO DA MATINHA: outro que precisará de uma alma santa para lhe ajudar no exercício do mandato. Por si só pouco haverá de realizar. Única boa característica é ser professor. Que faça bom uso de seus dotes acadêmicos. NOTAS: Expectativa: 3 / Potencial intelectivo: 9 / Independência: 4

DÉ PEDREIRO: passou susto também. Quase não foi reeleito. Hora de repensar para se firmar. Bom será se começar a trabalhar com mais afinco. NOTAS: Expectativa: 6 / Potencial intelectivo: 2 / Independência: 7

MÁRCIO DO BAIRRO SÃO CRISTÓVÃO: futuro incerto. Jovem, se souber trabalhar pode até ser uma zebra que dê certo. NOTAS: Expectativa: 7 / Potencial intelectivo: 6 / Independência: 4

Afora minhas críticas desejo a todos um excelente mandato. Se desagradei, não se importe: você terá 4 anos para provar que estou errado. Não se esqueçam de suas promessas!

Regras para a segunda avaliação

Conforme informado em sala de aula seguem as diretrizes básicas para a segunda avaliação:

  • Os alunos podem escolher qual avaliação prefere fazer: a tradicional ou a redação de um texto científico em processo civil.
  • No dia designado, o professor estará em sala de aula onde TODOS os alunos deverão estar também presentes para a avaliação.
  • Os alunos que optarem pela redação do artigo farão a entrega do mesmo, e, após assinar a lista de presença poderão se retirar.
  • Os demais alunos que optarem por avaliação convencional permanecerão em sala para a realização da prova.
  • NÃO SERÁ A ADMITIDA A ENTREGA DE ARTIGOS APÓS A DATA APRAZADA PARA A AVALIAÇÃO.
    • O aluno que não entregar o artigo ou não comparecer, deverá se submeter a segunda chamada de avaliação nos moldes regimentais da instituição.
  • A lista de chamada da avaliação, fornecida pela secretaria, será a baliza da instrução da alínea anterior.

REGRAS PARA A REDAÇÃO DO TEXTO

Mínimo de 10 (dez) páginas

  1. regras gráficas
    1. folha tamanho A4
    2. fonte times new roman tamanho 12
    3. bordas superior, inferior e direita de 2cm e borda esquerda de 3cm
    4. espaço entre linhas: simples
    5. recuo de parágrafo em 1,25cm
    6. Notas de rodapé em fonte arial tamanho 10
  2. regras de conteúdo
    1. seja referente a qualquer tema relativo a Procedimentos Especiais (arts. 539 até 770 da lei 13.105/15 NCPC)
    2. título em caixa alta
    3. nome do aluno em recuo a esquerda, abaixo do título
    4. contenha resumo de no máximo 4 linhas
    5. referências bibliográficas ao final, no formato ABNT – não incluídas no número mínimo de páginas.
    6. contenha Introdução e Conclusão
  3. critérios mínimos de avaliação
    1. tema relevante ao estudo do direito
    2. originalidade do tema
    3. obediência gramatical
    4. combinação com outros aspectos do Processo Civil
  4. sustentação oral
    1. sará permitido ao aluno a sustentação oral de seu trabalho como forma de acréscimo aos critérios de avaliação
    2. a data da sustentação oral será a primeira aula após a avaliação (entrega dos textos)
  5. qualquer dúvida deverá ser efetuada através de comentário ao presente post.

modelo de texto nos fundamentos exigidos acima: clique aqui